Projeto AES - Poli Júnior

Projeto AES

Engenharia de Produção

Em 2017, a união da geradora de energia AES e da distribuidora Eletropaulo chegou ao fim após 16 anos. Contando com mais de 300 colaboradores, essa união, que era responsável por distribuir energia para quase toda cidade de São Paulo, agora iria passar por um processo de separação judicial e corporativa que exigiria uma nova estrutura organizacional e novas posições no mercado. Apesar de o processo ter sido muito bem elaborado e organizado tanto judicialmente quanto financeiramente, a AES passou a ter metade dos funcionários que faziam parte da empresa, o que significava uma carga gigantesca de trabalho para as áreas suporte restantes.

Depois de ter passado por um processo de consultoria com uma empresa sênior, que havia recomendado a construção de um CSC para apoio às atividades da companhia, era necessário a contratação de uma equipe de capaz de analisar quais setores necessitavam de maior apoio e de contratação de novos funcionários. Neste cenário a Poli Júnior apareceu.

A questão era direta: “onde temos a necessidade de ter um maior número de colaboradores e o quanto eles estão sendo afetados por isso?”. Frente a isso, foi proposto um projeto de dimensionamento, envolvendo dois portfólios: Gestão por processos e Análise de dados.

Após um entendimento macro da empresa, foram elencados os processos que exigiam maior conhecimento, junto a uma noção da cadeia de valor que a empresa possuía. Dado isto, a próxima etapa envolveu uma coleta de dados de cada um dos mais de 130 profissionais do setor corporativo e a modelagem dos processos da empresa. Após a validação do que possuíamos, foi possível entregar um banco de dados com mais de 700 atividades e 180 processos, junto a análise das áreas da empresa e recomendações de ações a serem tomadas.

Com isso, a AES Tietê deu um passo adiante para consolidação e desenvolvimento da sua nova estrutura, além de desenvolver um ambiente de trabalho muito mais agradável para sua equipe. Não à toa, a empresa tem aumentado seu valor de mercado durante o ano de 2019, tendo um crescimento de 40% no valor das suas ações desde dezembro de 2018, e aparece entre as melhores empresas para se trabalhar no Brasil segundo o Ranking da revista Exame 2018.

Equipe:

Pedro Breda, Ruan Argenton, Gabriel Feuerwerker, Giovana Vasques, Vinícius Rechuan e Luis Eduardo

Inscreva-se na nossa Newsletter