MVP: O que é e como fazer um para sua ideia? - Poli Júnior

MVP: O que é e como fazer um para sua ideia?

MVP: O que é e como fazer um para sua ideia?

Startups que estão começando, por vezes, não tem o capital suficiente para lançar seu produto no mercado para só então testar as hipóteses que guiaram a ideia do produto.

Por isso, o MVP vem se mostrando uma ferramenta essencial para quem precisa validar uma ideia antes de gastar dinheiro e tempo no seu desenvolvimento.

E é isso que iremos falar neste post. Se quer entender como implementar o MVP em seu negócio, continue lendo.

 

O que é MVP?

O MVP (Minimum Viable Product) ou, em português, o Produto Mínimo Viável, trata-se de uma versão simplificada de um produto final de uma empresa. 

Essa versão tem como principal função permitir que os empreendedores testem suas hipóteses de negócio e verifiquem se elas fazem sentido. Ficando famosa após a popularização dos conceitos contidos no livro Lean Startup, ou Startup Enxuta, de Eric Ries. 

 

Imagem por Heller de Paula

 

Os conceitos expressos no livro são relacionados ao desenvolvimento de estratégias para agir pontualmente em cada item que possa envolver o desperdício de tempo, dinheiro ou outros recursos

O maior objetivo desse método de Startup Enxuta é alcançar o produto da melhor qualidade possível, gerando um time-to-market mais imediato possível e com um baixo nível de incertezas. 

 

O MVP se trata, basicamente de um conjunto de testes primários para validar a viabilidade do negócio. Onde mesmo trabalhando com o mínimo de recursos possíveis, ele precisa manter a proposta para a qual foi criado, solucionando o problema do cliente.

Além disso, o produto mínimo viável deve fazer parte do produto final, onde ele tem que obrigatoriamente entregar um produto de grande valor para que o público se sinta convencido que aquilo dará certo. 

Em resumo, a intenção do MVP é atrair o público para o produto final e não o oposto, assim deve ter a melhor qualidade e efetividade possível.

 

Por que fazer um produto mínimo viável?

Para uma empresa que tem que lidar com diversos fatores de risco, o MVP é um ótimo método para testar a aprovação do público.

Dentre as vantagens da implantação de um MVP, a amenização dos riscos para a startup, investigações para realizar o MVP permite uma maior proximidade entre o empreendedor e o público. 

Isso permite ao empreendedor compreender melhor o comportamento do cliente e detectar as possíveis falhas no produto antes mesmo de que seja lançado no mercado.

Também, seu baixo custo e prazo de desenvolvimento pequeno torna o MVP como a forma mais barata e eficiente de se testar uma ideia, já que com ele se poderá economizar tempo e o dinheiro da startup.

Ao se tomar a decisão de não se utilizar o MVP se deve estar pronto para arcar com as consequências. 

Pois, se empenhará tempo e dinheiro em uma ideia sem que ela passe por uma validação que mostraria os pontos onde se deve melhorar.

 

Como criar um MVP?

A maneira de validação do produto mínimo viável depende de vários fatores, como tipo de negócio, o cliente, e dá habilidade técnica do time de desenvolvedores. Ao se atentar a todos esses fatores se pode então produzir um MVP pleno. 

Aproveitando todos os benefícios desse método, é possível criar um produto que venha a satisfazer o cliente e evoluir da melhor forma possível.

 

1. Escolha sua equipe

O primeiro passo que se deve tomar para elaborar um MVP é a escolha de uma equipe de qualidade, que tenha conhecimento sobre as suas respectivas áreas. 

Bons profissionais de tecnologia e profissionais que tenham conhecimentos relativos à experiência dos usuários e que possam indicar quais melhorias devem ser feitas para melhorar a experiência dos clientes.

 

2. Conheça o cliente e o problema

Essa equipe deverá entender plenamente o cliente e o problema, definindo quais as dores e problemas enfrentados pelo consumidor e, então, quais e como irá solucionar essa dificuldade.

Para adquirir essa compreensão a cerca do problema e cliente, utilize entrevistas para validar os problemas dos clientes.

Também, uma forma de testar o interesse dos usuários é através de uma landing page.

Ela poderá ser usada tanto para apresentar a nova funcionalidade ao mercado quanto para a captação de leads que serão usados para a validação

 

3. Elabore um script

Com esses dados iniciais, podemos elaborar um script de do desenvolvimento da ideia e, consequentemente, do MVP. 

Nele, delimite quantas variáveis serão confirmadas ou alteradas no projeto.

 

4. Ponha em prática

Após a obtenção de todos estes dados, o empreendedor pode então pôr em prática a validação da solução. 

É importante fazer a elaboração do MVP de forma manual, onde a partir disso o empreendedor irá ter uma maior proximidade com o público-alvo e assim desenvolver novas ideias de melhoria para o produto e compreender melhor o que o público realmente precisa.

 

5. Melhore o Produto

Mesmo obtendo um ótimo resultado com o MVP, sempre busque melhorar cada vez mais com o menor custo possível, já que se trata de um negócio de alta escalabilidade.

Um erro comum de startups é esquecer o MVP após a sua validação de mercado, deixando de lado a evolução daquele produto. 

 

Conclusão

Como vimos o MVP se trata de uma base para a validação de um produto, por este motivo, não são apenas as startups que podem se beneficiar das vantagens do produto mínimo viável. 

Empresas de grande porte podem utilizar para que reduzam seus custos, ganhem velocidade nos processos internos e possa sempre evoluir seus produtos de forma inovadora.

Além de diminuir os recursos necessários e aumentar a sua agilidade, a sua implementação permite a empresa ter uma experiência mais próxima com o público-alvo.

Caso tenha dúvida de como implementar essas ações no seu negócio, você pode nos contatar pelo próprio site ou telefone também, sem maiores compromissos.

Solicite já seu projeto e faça um orçamento! 

Quer conhecer mais sobre engenharia química? Clique aqui e acesse nossos outros posts!

Inscreva-se na nossa Newsletter