Como reciclar resíduos orgânicos de forma correta? - Poli Júnior

Como reciclar resíduos orgânicos de forma correta?

Como reciclar resíduos orgânicos de forma correta?

Com o aumento da população mundial encaramos vários problemas sendo um deles a produção excessiva de lixo.

Esses resíduos orgânicos necessitam de um tratamento correto para que possamos diminuir o impacto ao meio ambiente, além de evitarmos mau cheiro, fungos e bactérias, aparecimento de animais como ratos e insetos e doenças vindas da contaminação do solo e da água. 

Por isso é importante conhecer os tipos lixo orgânico e os tipos de reciclagem que podemos fazer para cada um.

Então, criamos este artigo completo sobre o assunto para que você consiga entender como fazer esse reúso de forma correta em sua empresa.

 

O que é lixo orgânico

O lixo orgânico é formado por todo material que venha de origem animal ou vegetal. Pode ser produzido em casa, nas empresas, escolas e outros ambientes. 

Podem ser: 

  • cascas de frutas ou de ovos;
  • talos, sementes; 
  • folhas;
  • restos de alimentos (carnes, ossos, vegetais etc.); 
  • saquinhos de chá e café;
  • papeis usados (higiênicos, absorventes);
  • dejetos humanos.

Nem todos são reciclados da mesma maneira, mas se reciclados da maneira correta em compostagens e queimas podem virar adubo e combustível.

 

A importância de reciclar material orgânico

A reciclagem de resíduos orgânicos está diretamente ligada ao conceito de sustentabilidade, no qual a primeira etapa começa em casa mesmo, é separar o lixo orgânico e inorgânico. 

Segundo o ministério da saúde, o descarte incorreto do lixo orgânico pode causar doenças como febre amarela, malária e leptospirose e de acordo com o ministério do ambiente, metade dos resíduos sólidos urbanos são resíduos orgânicos, daí a importância de descarta-los corretamente e fazer a reciclagem. 

 

Quais as opções de reciclagem

Os principais tipos de reciclagem de material orgânico são compostagem e biodigestão que resultam em adubo natural e biogás, em grandes empresas essas duas técnicas são utilizadas simultaneamente. 

Esses biodigestores decompõem a matéria orgânica sem a presença de oxigênio por meio de bactérias produzindo biogás e um líquido fertilizante. 

Ainda, o biogás pode ser utilizado como fonte de energia por ser composto de gás metano (CH4) e gás carbônico (C02).

Já a compostagem é um tipo de decomposição natural através de microrganismos que transformam esse material em adubo em liberar metano na atmosfera e pode ser feita em casa facilmente.

 

Como fazer o reúso desses resíduos em casa?

Primeiro escolha o tipo de compostagem, podendo ser a vermicompostagem ou compostagem seca. 

A primeira utiliza minhocas para degradar a matéria enquanto a segunda depende apenas dos microrganismos do solo, sendo essa a mais demorada.

 

Compostagem doméstica

Para a compostagem, siga esse passo a passo:

  1. Separe todo o material orgânico, depois pegue dois recipientes que comportem o resíduo e que encaixem um no outro com um espaço entre eles e escolha um local arejado e coberto.

    Pois a composteira não pode levar sol, vento ou chuva. Só então elabore sua composteira furando a parte de baixo do recipiente que ficará em cima.

     
  2. Coloque o material no recipiente de cima em camadas de folhas secas ou serragens e resíduo orgânico, a proporção é de duas camadas de material seco para uma de material orgânico.

    A última camada deve ser de material seco e não é necessário fechar a composteira. 

 

Essa forma de compostagem necessita de tempo, por isso não mecha por no mínimo duas semanas, após esse tempo o ideal é revirar todo o material para que seja oxigenado. 

O adubo está pronto quando o material estiver marrom e com cheiro de terra fresca, todo esse processo pode demorar cerca de dois meses. 

Durante esse tempo o chorume irá escorrer pelos buracos e cair no recipiente de baixo, dissolvendo esse líquido em água (para cada litro de chorume são necessários 10 litros de água) obtém-se um biofertilizante.

 

Vermicompostagem

Na vermicompostagem são necessárias caixas de material que bloqueie a luz do sol e que encaixem perfeitamente. Há algumas opções no mercado, mas é possível improvisar em casa também. 

  1. Nas tampas da caixa no meio e da de baixo, faça furos de 1mm a 1,5mm espaçadas em 2cm e na parte de baixo da caixa do meio faça de 50 a 100 furos de 4mm a 6mm de diâmetro, isso é necessário para que as minhocas transitem e para que o chorume escorra.
     
  2. Compre as minhocas em lojas de jardinagem ou pela internet, para cada metro quadrado são necessárias 450g ou aproximadamente 200 minhocas e coloque no recipiente por umas duas semanas sem adicionar o material orgânico, para que se acostumem com o meio.
     
  3. Passado esse tempo alimente as minhocas com pequenas porções acumuladas.

    Quando começarem a se reproduzir, alimente com 25% de material orgânico por metro quadrado semanalmente e cubra com serragem ou folhas secas.

    Não coloque comida demais, pois as minhocas não vão conseguir digerir e surge mau cheiro. As minhocas comem o resíduo orgânico e defecam húmus, é este material que servirá de adubo.
  4. Mexa o material orgânico após 15 dias e então semanalmente, para que obtenha oxigênio.

    Quando a caixa superior estiver cheia, troque-a com a intermediária que deve ter dois dedos de terra misturada a serragem ou folhas secas.

    A caixa mais próxima do chão deve ter o chorume coletado semanalmente para que não sufoque todo o sistema.

O composto deve estar pronto quando estiver escuro, de cinza a preto. 

Também, você pode testar a humidade na sua mão: 

  • caso sua mão fique limpa, ainda não está pronto;
  • caso fique um pouco suja, está quase pronto;
  • quando sua mão ficar bem suja e manchada como mancha de café é que o composto vai estar pronto. 

Abra a luz do sol para que a minhocas desçam para a caixa intermediária e retire a parte superior, espere alguns minutos para retirar outra camada. 

Faça a cama das minhocas

Nos dois tipos de compostagem não é aconselhado colocar 

  • carnes;
  • laticínios;
  • fezes de animais;
  • derivados de trigo;
  • papeis;
  • arroz; 
  • carvão;
  • alho;
  • cebola; 
  • gordura;
  • plantas doentes e frutas cítricas. 

Esses resíduos podem alterar o pH da terra, conter elementos tóxicos, conter fungos ou possuírem uma compostagem muito lenta causando mau cheiro e atraindo animais indesejáveis.  

 

Onde descartar corretamente os resíduos orgânicos?

O lixo deve ser separado numa coleta seletiva, onde o resíduo orgânico vá para um aterro sanitário que faça a coleta do chorume e impermeabilize o solo para que não seja contaminado. 

Ainda assim, a melhor solução é a compostagem. 

Além disso, algumas empresas conseguem lucrar vendendo seus resíduos orgânicos para outras empresas que fabricam fertilizantes orgânicos.

 

Conclusão

O lixo produzido pela humanidade seja orgânico ou inorgânico deve ser separado, reciclado e reutilizado. 

Hoje são utilizadas diversas tecnologias acessíveis, como composteiras elétricas, além de legislações e campanhas hoje no Brasil que tocam esses pontos como a cartilha lançada pelo ministério do ambiente em 2017. 

Os resíduos orgânicos compõem metade do nosso lixo, por isso não deve ser descartado erroneamente.

 

Caso tenha dúvida de como implementar essas ações no seu negócio, você pode nos contatar pelo próprio site ou telefone também, sem maiores compromissos.

Solicite já seu projeto e faça um orçamento! 

Quer conhecer mais sobre engenharia química? Clique aqui e acesse nossos outros posts!

Inscreva-se na nossa Newsletter