EVENTOS     |     TRAINEES     |     POLIBLOG

Reciclagem de Metais: sob um olhar diferente

A reciclagem é um conceito difundido atualmente tanto nos sistemas produtivos como para fins de pesquisa. Abordaremos em seguida de uma maneira um pouco diferente sobre o tema com base nos metais.

Metal: Breve definição, classificação, propriedades e aplicabilidade

Todos sabemos que o metal é um produto muito utilizado em nosso dia a dia. Nos veículos, na construção civil (aço), nas ferramentas, nos utensílios domésticos, nas aplicações elétricas (cobre), alumínio e também com os menos conhecidos, como o zircônio (indústria de joias), e titânio (indústria aeroespacial), são exemplos que estão presentes em grandes quantidades.

Os metais possuem várias propriedades das quais podemos destacar, por exemplo, a condutividade elétrica/térmica (devido a presença de grande quantidade de elétrons na superfície que facilita os seus movimentos), sua conformabilidade (transformar em objetos com forma definida), sua maleabilidade (podendo ser moldados sem quebrá-los), e sua elevada resistência mecânica.

Os metais podem ser divididos em dois grupos: os ferrosos, (ferro e aço) e os não-ferrosos (alumínio, cobre e suas ligas, que são latão e bronze, chumbo, níquel e zinco). Há um maior interesse na reciclagem de metais não-ferrosos, devido ao valor de uso da sucata, mesmo assim é alta também a procura pela sucata de ferro e aço.

Reciclagem: um alento para todos

Como definição, temos a reciclagem como o processo no qual resíduos de produtos que já foram consumidos e objetos que seriam descartados no meio ambiente, por serem considerados inutilizáveis, são reinseridos no ciclo produtivo através da sua utilização como matéria-prima para a fabricação de novos produtos. Por isso, hoje a ideia de reciclagem é muito difundida, além de que se percebe que há um maior rigor para com as indústrias quanto ao destino final de resíduos, devido à nova legislação em vigor, a qual as empresas têm que se adequar. Em 2010, foi promulgada a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) que possui como premissa a prevenção e a redução na geração de resíduos, tendo como proposta a prática de hábitos de consumo sustentável.

A metalurgia e a reciclagem se cruzam na História, pois as sucatas são geralmente as matérias-primas mais convenientes na fundição, não havendo também perdas de qualidade no processo.

Além de serem divididas em ferrosas e não ferrosas, as sucatas podem ser classificadas como:

  • Sucatas pesadas (a):geralmente encontradas nos ferros-velhos (vigas, equipamentos, chapas, grelhas etc.).
  • Sucatas de processo (b):cavacos, limalhas e rebarbas, além de peças defeituosas que voltam ao processo industrial.
  • Sucatas de obsolescência (c):materiais descartados pós consumo (latinha de refrigerante).

O processo de reciclagem de materiais ferrosos está direcionado para as usinas de fundição, onde a sucata é colocada em fornos elétricos ou a oxigênio, aquecidos a altas temperaturas. Após atingir o ponto de fusão e chegar ao estado líquido, o material é moldado em tarugos e placas metálicas, que serão cortados na forma de chapas de aço. O alumínio mesmo não sendo um material ferroso também é encaminhado para a fundição, obedecendo parâmetros específicos de processamento. A sucata demora somente um dia para ser reprocessada e transformada novamente em lâminas de aço usadas por vários setores industriais (de montadoras de automóveis à fábricas de latinhas em conserva).

Podemos destacar como metais recicláveis as latas de alumínio e de aço, tampas, ferragens, canos, esquadrias e molduras de quadros. Já os não recicláveis temos os grampos, esponjas de aço, latas de tintas, latas de combustível e pilhas. Estes são assim classificados devido a contaminação que eles podem causar devido a resquícios químicos no material.

Os metais puros geralmente não apresentam todas as características necessárias para serem aplicados na fabricação de produtos utilizados na sociedade. Por isso, surgiram as ligas metálicas como o aço, constituído de ferro (Fe) e carbono (C) e também há as ligas conhecidas como aço inox (aço inoxidável), por exemplo, a constituída de ferro (Fe), níquel (Ni) e cromo (Cr) que possui uma capacidade de resistência a corrosão se comparada a outros tipos.

Podemos concluir que os benefícios da reciclagem de metais são:

  • economia de minérios;
  • economia de energia;
  • economia de água;
  • aumento da vida útil dos lixões;
  • diminuição das áreas degradadas pela extração do minério;
  • diminuição da poluição;
  • geração de empregos e recursos econômicos para os intermediários.

Estes são alguns benefícios que demonstram o potencial da reciclagem de metais e o quanto ela pode ser proveitosa para o meio ambiente e para indústria, que pode reverter a sucata metálica em matéria prima para novos produtos ou até mesmo transformar em uma nova fonte de receita, vendendo para que outras indústrias apliquem a sucata metálica como matéria prima.

Necessita de algum projeto na área de metalurgia? Nosso Núcleo de Química pode te ajudar! Com membros da Escola Politécnica das engenharias da grande área química, junto ao auxílio dos professores e da infraestrutura da USP, possuímos os fatores essenciais para levar seu projeto à excelência!

Peça seu projeto agora mesmo!

felippo.pietro@polijunior.com.br

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.