Como reciclar pode gerar dinheiro?

Cada dia mais sentimos a necessidade de adequarmos os meios de produção e consumo de bens materiais e energia, de modo a adotarmos práticas mais sustentáveis e ambientalmente conscientes.

O homem produz lixo desde sua existência, mas foi quando ele se tornou sedentário que as concentrações de lixo e os focos de geração de resíduos foram ampliados. Já preocupados com isso, as primeiras civilizações já dispunham de sistemas de esgoto, e emprego de subprodutos em pavimentação, por exemplo. Na Idade Média, no período feudal, a geração de lixo pela atividade humana levou as sociedades da época a repensarem seus modos de produção e consumo de bens materiais e recursos naturais. Com as eclosões das Revoluções Industriais dos próximos séculos, a geração de resíduos advindos de atividades humanas e industriais foi
levada a patamares jamais atingidos, e novamente fomos obrigados a repensar o impacto que
causamos no meio ambiente.
Tanto para atividades industriais, quanto no cotidiano, é inevitável a geração de resíduos. No entanto, podemos enfrentar essa geração de subprodutos menos nobres como uma potencial matéria-prima para outros produtos, através de sua reciclagem e reuso. Então, por que não usar desse fato para gerar oportunidades de negócio?

Desde artesanatos com latas de alumínio até incineração de resíduos industriais para geração de energia para o próprio processo, motivam pequenos empreendedores e grandes empresas a procurarem soluções inovadoras para tornar suas atividades cada vez mais
sustentáveis.

A palavra reciclagem quer dizer “reciclo”, ou seja, repetir o ciclo. A reciclagem é designada como um conjunto de operações e técnicas onde o intuito final é reaproveitar materiais descartados, reinserindo-os no processo produtivo. Em especial, a reciclagem é uma maneira de tratamento de resíduos muito vantajosa, pois reduz o consumo de recursos naturais, insumos energéticos e diminui o volume de lixo descartado. Para esta nova caracterização do resíduo, normalmente se emprega transformações químicas, físicas ou biológicas de modo a
atribuir novas características para que o resíduo seja configurado uma nova matéria-prima ou um novo produto final.

A reciclagem do Alumínio talvez seja um dos melhores exemplos do que é reciclar e tudo que esse ato gera de positivo tanto para a sociedade, quanto para quem está realizando o processo. Para se reciclar uma tonelada de Alumínio, gasta-se somente 5% da energia necessária para se produzir a mesma quantidade de Alumínio primário, ou seja, a reciclagem proporciona uma economia de 95% de energia elétrica. Um exemplo elucidativo, é que a reciclagem de uma única latinha de alumínio economiza energia suficiente para manter um aparelho de TV ligado por até três horas. Alia-se dessa forma, vantagens econômicas com fortes necessidades ambientais da nossa época.

Além de redução de custo e volume de matérias-primas, reduzir e reaproveitar resíduos,
reciclar significa aumentar a vida útil dos produtos e diminuir gastos energéticos de
reprocessamento, deste modo, reaproveitar resíduos une duas fortes necessidades do mundo
pós-moderno: Sustentabilidade e impacto econômico.

Quer conhecer mais sobre engenharia ambiental? Clique aqui  e acesse nossos outros posts!

Autores: William Souza e Matheus Vatanabe

marketing@polijunior.com.br

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.