Como o alumínio ficou tão barato? E Por que o alumínio é tão utilizado?

Você sabia que, em determinada época da história, o alumínio, que hoje usamos para produzir nossas latinhas de refrigerante ou até aquelas folhas para enrolarmos nossos lanches, já chegou a custar mais caro do que o ouro?

          O preço de um metal é determinado por diversos fatores, tais quais suas características físicas, usabilidade, abundância e custo de produção. E é por causa desse último fator que o Alumínio era tão caro há alguns anos atrás.

          Esse metal, apesar de ser o metal mais abundante na crosta terrestre, não é encontrado em sua forma metálica, sendo muitas vezes encontrado como óxidos, como na bauxita, o principal mineral utilizado na produção de alumínio no país. Assim, sua obtenção era extremamente difícil e só em 1825 foi possível conseguir uma amostra do metal puro. O metal era tão raro que imperadores franceses ofereciam talheres de alumínio à convidados honorários enquanto as outras pessoas usavam talheres de ouro.

          Mas como o Alumínio passou a ficar tão barato?

          Assim como outras descobertas do mundo científico, uma maneira eficiente de se produzir alumínio metálico foi desenvolvida por dois cientistas diferentes na mesma época.

Charles Martin Hall, aos seus 22 anos, vivia nos Estados Unidos e Paul Héroult, aos seus 23, vivia na França quando, em 1886, de forma independente, descobriram uma forma de produzir alumínio através de eletrólise. E, em homenagem a esses dois cientistas, o processo de produção de alumínio ficou conhecido como Héroult/Hall.

Mas qual a razão para dois homens diferentes, separados por um oceano, descobrirem a mesma técnica de produção e ainda ao mesmo tempo?

A procura por uma forma econômica de produzir Alumínio já era vista como um grande objetivo dos cientistas da época. Além disso, a eletroquímica, que trata de fenômenos como a eletrólise, estava tornando-se mais madura e suas aplicações apareciam de forma mais clara, aliada à produção em larga escala de energia elétrica.

          Ainda, dois anos mais tarde, o austríaco Carl Josef Bayer desenvolveu o famoso processo que hoje é conhecido como processo Bayer, no qual usa-se a bauxita para produzir-se alumínio à baixo custo.

          Dessa forma, com o desenvolvimento de técnicas eficientes de obtenção do metal, o Alumínio passou a assumir valores por libra (cerca de meio quilo) de:

Com o preço mais acessível, só no ano de 2018, foram produzidos mais de 64,34 milhões de toneladas, algo inimaginável há anos atrás.

          Essa alta produção é justificada pela versatilidade de aplicações que o material oferece devido às suas características, como:

  • Leveza;
  • Resistência;
  • Resistência à corrosão;
  • Durabilidade;
  • Ductibilidade;
  • Maleabilidade;
  • Condutividade;
  • Inodor;

Tais características permitem com que o metal seja usado em diversos segmentos como meios de transporte, embalagens, construção civil, indústria automotiva, transmissão elétrica etc.

No setor de meios de transporte, o Alumínio é muito utilizado devido sua ótima relação resistência vs peso. Apesar de não ser o metal mais resistente, ele é extremamente leve, assim, aumenta-se a eficiência de combustível do veículo e sua resistência pode ser ajustada criando ligas com outros metais. Outro fator importante é que esse material é sua alta resistência à corrosão, o que elimina a necessidade de se usar caros e pesados revestimentos anticorrosivos. Além disso, o Alumínio é conhecido como o “metal alado”, por ser ideal para aeronaves, devido à leveza, resistência e flexibilidade.

Na indústria civil, o metal apresenta seu valor por minimizar as necessidades de manutenções, devido à resistência à corrosão. Ademais, o Alumínio é termicamente eficiente, o que ajuda a manter ambientes quentes no frio e frescos no verão. Adiciona-se o fato de que, por ser maleável, possibilita a realização de acabamentos curvos e mais detalhados.

No setor elétrico, apesar do Alumínio possuir cerca de 63% da condutividade do cobre, sua densidade baixa faz com que ele seja a melhor opção para cabos de energia de longas distâncias. Caso fossem usados cabos de cobre, seriam necessárias mais estruturas de suporte, aumentando o custo das instalações.

Em bens de consumo, o material é usado por dar uma aparência mais moderna e sofisticada aos aparelhos tecnológicos, além os tornar leves e duráveis.

Por fim, outro fator importante que torna o Alumínio tão utilizado é o fato de ser praticamente infinitamente reciclável sem que tenha perdas significativas de suas propriedades. O processo de produção do Alumínio consumo grandes quantidades de energia, o que torna sua reciclagem, na maioria dos casos, a forma mais fácil de se obter o metal puro, já que consome cerca de 5% da energia necessária para se produzir Alumínio a partir de seus minérios.

Dessa forma, o metal apresenta grande aplicabilidade em diversos setores da indústria e com o desenvolvimento das técnicas de obtenção do metal puro, tanto através dos minérios como através da reciclagem, o custo do mesmo passou de um dos mais altos entre os metais, para um dos mais baratos.

 

Quer conhecer mais sobre engenharia de materiais? Clique aqui e acesse nossos outros posts!

Autor: Yuichi Tokumoto

marketing@polijunior.com.br

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.